#euapoioleitematerno

03 MOISES BEBE

Com toda certeza, eu não sou o único profissional que fala sobre aleitamento materno. Com toda certeza, eu não sou a pessoa que mais conhece sobre aleitamento materno.

E daí, né?

Com tudo o que tem sido feito até hoje, e apesar de termos muitos profissionais que falam sobre aleitamento materno, muitas pessoas que conhecem mais sobre o aleitamento materno do que eu e com tanta gente qualificada divulgando os benefícios do aleitamento materno, as últimas estatísticas que temos nos mostram que:

  • Taxa de aleitamento na sala de parto – 65%;
  • A média de aleitamento materno exclusivo no Brasil é de 51 dias;
  • Apenas 41% das crianças estão em aleitamento materno exclusivo aos 6 meses;
  • A média de duração de aleitamento materno no Brasil é de 11 meses e 20 dias.

E olha que a recomendação geral das entidades de saúde (Organização Mundial de Saúde, Sociedade Brasileira de Pediatria, Ministério da Saúde, UNICEF, Academia Americana de Pediatria, dentre muitas outras) é muito simples e clara:

Aleitamento Materno… 

Desde a sala de parto;

Exclusivo e em livre-demanda até o 6º mês;

Estendido até 2 anos ou mais.

O que está acontecendo? O que ainda falta?

A primeira semana de agosto, conhecida como Semana Mundial de Aleitamento Materno, é dedicada ao aleitamento materno no mundo todo. Na 23ª edição desse evento global, em 2015, o tema a ser trabalhado é “Breastfeeding and work: Let’s make it work”.

No Brasil, já há algum tempo, falamos em um Agosto Dourado: uma iniciativa para se falar e divulgar o aleitamento materno. Manaus já colocou a ideia em prática.

Assim, a partir de maio de 2015, com toda a ousadia, mas também com toda boa vontade e pureza de propósitos do mundo, proponho a criação de um “Ano Dourado Permanente”, com o lançamento do Movimento #euapoioleitematerno. Isso mesmo! Este será o primeiro de muitos anos em que vou falar diariamente a respeito de aleitamento materno. Esse é um compromisso público.

A ideia é a criação de um movimento em prol do aleitamento materno que congregue mães (adotivas, naturais, de coração), jornalistas, governantes (municipais, estaduais e federais), blogueiras, formadores de opinião, famílias (de todos os tipos), empresários que empregam mulheres, mães trabalhadoras, profissionais de saúde, em última instância, toda a sociedade.

Movimento #euapoioleitematerno 

O que aconteceria se durante um ano (maio de 2015 a maio de 2016) pudéssemos abordar, todos os dias, a importância do aleitamento materno? Certamente, iríamos inundar o país de leite materno!

Todos os que queiram se juntar a esse movimento estão aceitos.  A missão não é fácil, mas acredito que os benefícios sociais superem em muito as dificuldades com as quais vamos nos deparar. Juntos, vamos, tanto apoiar, quanto organizar eventos com e para as mães que amamentam na cidade de São Paulo, buscando, sempre, a sensibilização e o empoderamento em relação ao aleitamento materno.

O Movimento #euapoioleitematerno irá tocar em todos os assuntos relativos ao aleitamento materno, ouvirá todas as ideias, unirá esforços, cutucará feridas. Todos juntos. Nem um dia sequer se passará sem uma palavra sobre aleitamento materno. Já escolhemos nossas ferramentas, além do blog #euapoioleitematerno, temos uma fanpage, um instagram, um perfil no Twitter e um canal de vídeos no You Tube.

Orientação sobre aleitamento desde o pré-natal, mais hospitais amigos da criança, menos mamadeiras e fórmulas infantis nas maternidades, aleitamento na sala de parto, pediatras e outros profissionais de saúde mais conscientizados sobre a importância do aleitamento, mães amamentando quando e onde quiserem, sem serem julgadas ou até humilhadas por conta disso, licença-maternidade real de 6 meses, licença-paternidade menos indigna (atuais 5 dias), creches, salas nas empresas para retirada e estocagem adequadas de leite materno, estímulo e divulgação dos bancos de leite, uso de medicamentos e substâncias pelas mães que sejam compatíveis com a manutenção do aleitamento. Esses são alguns dos nossos temas nos próximos meses…

Que fique muito claro: nosso objetivo é estimular, sensibilizar, de forma positiva e sem agressões, sem ameaças, sem discriminações o aleitamento materno. Quem quiser pode se unir ao Movimento #euapoioleitematerno. Mães que amamentam e mães que não amamentam têm a mesma voz. Ninguém é menos mãe ou mais mãe por amamentar ou por não amamentar…

Quem não amamentou ou não amamenta hoje pode, em uma próxima gestação, vir a amamentar. E mesmo que não haja uma próxima oportunidade, qualquer mãe, qualquer mulher, qualquer pessoa (inclusive homens) pode ser um multiplicador das nossas informações.

Diálogo e informação 

No blog #euapoioleitematerno, estaremos disponibilizando as atividades que realizaremos e as formas de apoio e de patrocínio do projeto.

Cada manifestação de apoio será comemorada e estimulada. E quem quiser sugerir um post, uma atividade, não deve se acanhar! Encaminhe sua contribuição. Teremos o maior prazer em divulgar. Ao final de um ano, vamos avaliar quantas pessoas foram atingidas pelo movimento que faremos juntos. Vamos não só fazer a diferença. Vamos ser a diferença.

Declaro então, nesse dia 10 maio de 2.015, abertas as atividades do Movimento #euapoioleitematerno.

Dr. Moises Chencinski

Pediatra e Homeopata

CRM-SP 36.349

10 comentários sobre “#euapoioleitematerno

  1. Debora Milone disse:

    Dr Moises, parabéns pelo excelente trabalho! Falar abertamente, discutir os benefícios e as dificuldades da amamentação é o melhor caminho para educar e esclarecer as mães. Escrevi meu depoimento contando minha experiência com a amamentação e indiquei seu blog para as leitoras do meu blog, porque #euapoioleitematerno! Mais uma vez, parabéns pela iniciativa!
    http://maternidadehoje.com/2015/05/29/amamentacao-minha-experiencia-desde-a-primeira-gravidez-ate-o-segundo-filho/

    Curtir

    • Doutor Moises Chencinski disse:

      Debora, desculpe a demora na resposta. Concordo com você. Acho que a informação é o primeiro passo para as transformações.
      A troca de experiências, compartilhar as emoções e as sensações, como você fez no seu depoimento, é outra parte fundamental nesse quebra-cabeças.
      Isso faz parte da nossa ação, do nosso movimento.
      Agradeço a confiança e o carinho.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Gláucia Andrade disse:

    Ola Dr Moisés.
    eu preciso de uma informação.
    Minha amiga teve gêmeos na terça feira passada, ela trouxe um para casa e o outro ainda está no banho de luz.
    O problema é que ela só consegue amamentar com o peito direito, o esquerdo está cheio e dolorido mas não sai leite nenhum. Eu falei para ela estimular, fazer massagem e mesmo assim não sai nada.
    O que ela pode fazer?

    Curtir

  3. Tânia Neiva disse:

    Olá Dr. Moisés!

    Acompanho o seu trabalho e admiro muito o que tem feito!

    Sou de Fortaleza e aqui, apoio o projeto Enlace Dourado, que tem feito muito em prol da amamentação. Sei que o movimento #euapoioleitematerno é de São Paulo, mas não pude deixar de divulgá-lo em meu blog. Além do post também coloquei a logo do movimento #euapoioleitematerno. Tenho muita satisfação em poder divulgar essa iniciativa tão importante!

    Estamos juntos nesse movimento!

    Abaixo estão os links:
    http://itsagirl.com.br/2016/08/06/movimento-euapoioleitematerno/

    http://itsagirl.com.br/2016/07/26/semana-mundial-do-aleitamento-materno/

    Curtir

    • Doutor Moises Chencinski disse:

      rosemeire, a recomendação da Organização Mundial de Saúde (eu só divulgo…. rsrs) é o aleitamento materno desde a sala de parto, exclusivo e em livre-demanda até o 6º mês, estendido ATÉ 2 ANOS OU MAIS. A princípio, não vejo nenhuma contraindicação na amamentação.

      Curtir

  4. Katia disse:

    Olá Doutor Moisés.

    Minha filha esta com 22 dias hj e Estou muito preocupada.
    Ela nasceu com 4135 kg, saiu da maternidade com 3885kg, em 15 dias ela ja estava pesando 4700kg. Ela tem ganhado peso, porem e segundo a pediatra, esta tudo normal. Porem estou bem preocupada pq ela mama muito pouco, em torno dr 10 min (nos 2 peitos) .
    Desde a maternidade eu armamento ela em livre demanda. Será por isso que ela mama pouco, por não ter horário certo pra mamar??
    Essa é minha 3 gestação, minha 1 filha Mamou ate 2 anos, meu 2 filho ate 7 meses .
    Mais estou sentindo muito dificuldade nesse ultima gestação.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s