Amamentar diminui o risco de a mãe desenvolver artrite

Em um novo estudo com mais de 7.000 mulheres chinesas, publicado on-line na revista Rheumatology, a amamentação – especialmente por um longo período de tempo – foi associada a um menor risco de artrite reumatoide (AR).  O estudo, especificamente, mostrou que as mulheres que amamentaram seus filhos tinham cerca de metade da probabilidade de desenvolver artrite reumatoide em comparação com as mulheres que nunca tinham amamentado.

Os efeitos benéficos da amamentação, tanto para a mãe como para a criança, são amplamente conhecidos, mas estudos anteriores sobre a associação entre aleitamento materno e AR eram imprecisos. Este estudo transversal avaliou a relação entre a AR, a amamentação e também o uso de contraceptivos orais, em uma população de mulheres do sul da China, onde os hábitos culturais diferem daqueles do Ocidente, onde a maioria dos estudos anteriores foi conduzida.

Os pesquisadores usaram dados de 7.349 mulheres com 50 anos ou mais. Os questionários foram utilizados para determinar a história sociodemográfica, de doença e o estilo de vida, obstétrica, de aleitamento materno e de uso de contraceptivos orais. As mulheres também foram perguntadas se tinham sido diagnosticadas com AR e foram examinadas por uma enfermeira treinada para verificar suas articulações para qualquer inchaço ou sensibilidade que pudesse indicar esse  diagnóstico.

As mulheres foram questionadas sobre suas gestações, o número de nascidos vivos, e para cada criança, os pesquisadores lhes pediram para lembrar se tinham amamentado e, em caso afirmativo, por quantos meses. O uso de pílula anticoncepcional, a idade em que começaram a tomar o medicamento e por quanto tempo elas utilizaram o contraceptivo também foram avaliados. A maioria das mulheres teve pelo menos um nascimento vivo, e destas, mais de 95% amamentaram seus filhos por pelo menos um mês. Apenas 11% já haviam usado pílula anticoncepcional, e na maior parte por curta duração. A média de idade para a primeira gravidez foi de 24 anos e a idade média para o diagnóstico de AR foi de 47,5 anos.

Entre as mulheres que tiveram pelo menos um nascimento vivo, as que já tinham amamentado apresentavam cerca de metade da probabilidade de ter AR. Além disso, houve uma tendência estatisticamente significativa de diminuir o risco de AR com o aumento da duração da amamentação. O ajuste adicional para a paridade não alterou a direção ou o tamanho do efeito. Não houve relação entre o uso da pílula anticoncepcional e a AR.

Este é o primeiro estudo a demonstrar uma ligação entre amamentação e menor risco de AR na população chinesa, onde o aleitamento era prática comum e mais prevalente do que em muitas populações ocidentais. O estudo foi baseado em uma grande amostra de população, em vez de ser retirado de cuidados secundários. Como os dados fazem parte de um estudo maior, os pesquisadores foram capazes de ajustar muitos potenciais fatores de confusão.

Os pesquisadores observaram que a associação encontrada neste estudo tem implicações potencialmente importantes para o futuro das pacientes com AR. As mulheres que participaram deste estudo nasceram nas décadas de 1940 e 1950, antes que a política chinesa de filho único fosse introduzida no final da década de 1970, e em um momento em que a amamentação era mais prevalente. O consequente declínio da amamentação apoia a necessidade de estudos prospectivos para examinar se haverá uma maior incidência de AR no futuro.

Mais importante ainda, a replicação da associação entre aleitamento materno e menor risco de AR, em uma população diferente, reforça a necessidade de mais pesquisas para compreender os mecanismos hormonais envolvidos no início desse quadro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s