Amamentação está liberada para as mães que tomam medicamentos imunossupressores

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mulheres que tomam o imunossupressor tacrolimus podem amamentar e não vão colocar seus filhos em risco, de acordo com um estudo publicado na edição da Revista Clínica da Sociedade Americana de Nefrologia (CJASN). Os resultados são uma boa notícia para as mulheres jovens que receberam um transplante de órgão no passado ou que estão tomando a droga por outros motivos.

As mulheres que tomavam o tacrolimus anteriormente eram aconselhadas a não amamentar devido à possibilidade de que a droga pudesse ser transferida para o bebê, o que poderia suprimir o desenvolvimento do sistema imunológico da criança. Embora existam muitos benefícios associados  à amamentação, havia muito pouco conhecimento sobre a segurança de amamentar enquanto a mãe estivesse fazendo uso desse medicamento.

Os pesquisadores buscaram, então, determinar a extensão em que o tacrolimus é transferido para os bebês através do leite materno. Quatorze mulheres em tratamento durante a gravidez e a lactação, e suas 15 crianças (11 das quais eram amamentadas exclusivamente com leite materno) foram avaliadas. Dentre as principais conclusões do estudo, destacam-se:

  • Os bebês nascidos de mães que tomaram tacrolimus tinham altos níveis da droga em seu sangue ao nascer, provavelmente devido à transferência através da placenta, mas os níveis caíram quando o fígado limpou o corpo da substância;
  • Tanto os bebês que eram amamentados exclusivamente com leite materno quanto os que eram alimentados com mamadeiras apresentavam as mesmas taxas da droga. A maioria dos bebês limpou a droga de seu organismo em duas semanas;
  • O leite materno das mães em tratamento com tacrolimus continham apenas níveis muito baixos da droga. Para os bebês tomarem a mesma quantidade de tacrolimus equivalente às mães, eles seriam obrigados a consumir cerca de 150 litros de leite materno por dia.

O estudo mostra que os níveis da droga não são aumentados de forma significativa através da amamentação. Embora mais estudos sejam necessários sobre a segurança do tacrolimus, os resultados sugerem que as mulheres que desejam amamentar não devem ser desencorajadas a fazê-lo.

As vantagens, especialmente para os prematuros, precisam ser pesadas contra as desvantagens teóricas da ingestão mínima através do leite materno. É importante destacar que as mulheres que receberam um transplante de rim, no passado, são mais propensas a ter partos prematuros.

Anúncios

Um comentário sobre “Amamentação está liberada para as mães que tomam medicamentos imunossupressores

  1. Marcela Ferreira Duarte disse:

    Sou transplantada de fígado a 14 anos e estava com mta duvida se eu amamemtaria ou não meu bebê. Mais depois que eu li essa matéria não tive dúvida estou amamentando meu bebê é estou mto FELIZ… Obrigada…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s