A amamentação pode evitar a retomada do tabagismo no pós-parto

Este slideshow necessita de JavaScript.

Enquanto um grande número de mulheres para de fumar ou reduz o tabagismo durante a gravidez, muitas voltam a fumar no pós-parto. Pesquisas anteriores já haviam estimado que aproximadamente 70% das mulheres que param de fumar, durante a gravidez, têm uma recaída no primeiro ano, após o parto, e daquelas que têm a recaída, 67% fumam por até três meses e 90% fumam por até seis meses.

Um novo estudo, publicado no Nicotine & Tobacco Research, indica que o único preditor significativo na mudança de comportamento de mulheres fumantes, durante a gravidez, era o fato de elas amamentarem. As mulheres que amamentaram seus bebês por pelo menos 90 dias fumavam menos, nos meses após o parto, do que as mulheres que amamentaram, por um curto período de tempo ou que não amamentaram de forma alguma.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores acompanharam 168 mulheres que eram fumantes, durante a gravidez, de suas primeiras consultas pré-natais até nove meses após o parto. Os pesquisadores analisaram a amamentação, o uso de outras substâncias, e se os parceiros eram fumantes, a fim de ajudar a determinar possíveis preditores de mudanças nos hábitos de fumar.

Os pesquisadores descobriram que as mulheres retomaram mais da metade dos seus níveis de consumo de tabaco nove meses após o parto. Embora as mulheres tenham diminuído o consumo de tabaco em toda a gravidez, nos nove meses de pós-parto, elas aumentaram substancialmente a sua cota de tabagismo.

O aumento do consumo de tabaco, depois do nascimento de uma criança, pode ter efeitos nocivos sobre a saúde da mãe e da criança, que está em maior risco de exposição à fumaça ambiental do tabaco. O aleitamento materno parece ser um fator de proteção contra o aumento da cota de tabagismo após o parto, assim as intervenções devem educar as mulheres sobre a amamentação para maximizar a eficácia dessa ação protetora. Apoiar as mulheres a amamentarem, por pelo menos seis meses exclusivamente, pode ter benefícios, em longo prazo, em termos de redução do tabagismo.

Anúncios

2 comentários sobre “A amamentação pode evitar a retomada do tabagismo no pós-parto

  1. Emila disse:

    Olá Dr. Moisés, estou voltando a trabalhar mas somente para cumprir aviso prévio, então não gostaria de parar de amamentar. Fizemos um acordo e estou trabalhando meio período para continuar amamentando, então ordenho leite somente uma vez no trabalho. O problema é que somente um dos meus seios “enche”, onde consigo ordenhar. Como posso manter a produção do seio que não consigo ordenhar? Só com uma retirada eu consigo manter minha produção?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s