Aleitamento materno e HIV

maxresdefault

No México, há relatos de dezenas de mães que infectaram seus filhos com HIV através do aleitamento materno, por desinformação. A justificativa de algumas delas, apoiadas pela associação “Unidos Podemos”, é a extrema pobreza, justificando que “é preferível ser contaminado através do aleitamento a morrer de fome”.

Está em andamento, no México, a aprovação de uma lei para a criação de bancos de leite que possam suprir essas crianças com leite materno.

Segundo recomendações do Ministério da Saúde, no Brasil, “a mãe portadora do HIV não poderá amamentar para prevenir que o vírus seja passado pelo leite ao bebê. Nestas condições, terá todo apoio necessário para alimentar seu bebê, sendo este encaminhado à Rede Nacional de Bancos de Leite Humano (REDEBLH) ou oferecido aleitamento artificial com fórmulas apropriadas até o segundo ano de vida”.

Além disso, o aleitamento cruzado (uma mãe amamentar o filho de outra mulher) não é recomendado no Brasil pelos riscos de contaminação.

Os Bancos de Leite têm como prioridade a coleta e a distribuição de leite humano para prematuros e, nem isso está sendo atingido de forma satisfatória. Não temos, no Brasil, o hábito da doação de leite. Se isso acontecesse, quando a mãe voltasse ao trabalho, já teria, 15 dias antes, a recomendação de passar a “doar” o seu leite para seu próprio filho e armazená-lo, com a técnica adequada, para quando fosse necessário.

Anúncios

2 comentários sobre “Aleitamento materno e HIV

  1. Mara disse:

    Bom Dia….
    Tenho uma filha que completa dois anos amanhã, ainda amamento ela e sofro preconceitos por ela já estar grande e tudo mair mas não ligo, sofri muito quando ela nasceu pois ela tinha refluxo e a família do meu marido dizia q era o meu leite q fazia mal pra ela.
    Por eles a minha filha ja teria saído do hospital tomando formula, mas bati o pé enfrentei toda a dificuldade no inicio da amamentação dor e tudo mais. Hoje me sinto feliz pelo que passei e vou continuar amamentando.

    Curtido por 1 pessoa

    • Doutor Moises Chencinski disse:

      Mara, que legal.

      A nossa expectativa é que chegue um tempo em que a gente não precise parabenizar uma mãe por amamentar seu filho.

      Isso vai ser natural. Mas para isso teremos que informar, sensibilizar, conscientizar as pessoas que amamentam, as que não amamentam e as que nem imaginam o que seja amamentar da importância do leite materno.

      Obrigado por compartilhar sua experiência conosco.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s