Amamentação em TANDEM – parte 02

Muitas mães já consideram difícil a ideia de amamentar gêmeos. Participei de grupos nos quais mães de gemelares faziam AME até o 6º mês. E não foram poucas não. Difícil? Sim. Mas absolutamente possível e recomendável.

Mas e quando a mãe de um bebê engravida? E se esse bebê ainda estiver em aleitamento materno, mesmo que não exclusivo? Dá para amamentar um filho enquanto grávida de outro? E depois, é possível continuar a amamentar dois filhos, de idades diferentes?

Você já ouviu falar de amamentação em TANDEM? Essa é uma prática comum em outras culturas e que está começando a ser mais usada por aqui.

Definição de TANDEM:

Dicionário Aurélio e Caldas Aulete digital:

  1. m.

Velocípede com dois selins e outros tantos pares de pedais para ser montado e movido por duas pessoas.

Cabriolé descoberto, puxado por dois cavalos atrelados um atrás do outro.

Conjunto formado por duas unidades, geralmente uma atrás da outra.

adj. 2 g.

Que é formado por duas unidades, duas partes ou dois lugares, geralmente um atrás do outro.

Já a expressão em Tandem (in Tandem) é referida no Dicionário de Cambridge:

at the same time (ao mesmo tempo) – The heart and lungs will be transplanted in tandem (o coração e os pulmões serão transplantados ao mesmo tempo).

Assim é a ideia da amamentação em Tandem. Amamentar dois bebês que não sejam gêmeos, de idades diferentes, um deles desde recém-nascido, mantendo o aleitamento para o mais velho. Como os hábitos de mamada de cada bebê podem ser diferentes (horários, necessidades nutricionais), isso pode significar amamentar cada um de acordo com suas demandas e seus horários.

Entre o segundo e o terceiro trimestres de gestação, como mais uma das caraterísticas únicas do leite materno, inicia-se novamente a produção de colostro e em grande parte das vezes isso não provoca o desmame da criança maior. Outros bebês podem desmamar pela mudança do paladar ou da quantidade de oferta.

A ideia de amamentar em TANDEM pode ser aplicada também à mãe que amamenta um seu bebê enquanto gestante de outro. Ela está nutrindo dois bebês.

Mas nem essa decisão e nem a prática são simples ou fáceis. Se a mãe não se sente confortável, o desmame deve ocorrer sem culpa. Mas uma compensação temporária com atenção e cuidados extra podem ser interessantes a todos, para demonstrar eu, apesar da “perda do seio e do leite materno” não há perda de amor.

Além disso, há muitas questões a se considerar:

– O histórico médico, os níveis de conforto físico e emocional da mãe;

– A idade dos filhos e suas necessidades de aleitamento;

– Se há algum comprometimento de risco na gestação por conta da amamentação;

– Aumento da sensibilidade dos mamilos (pelas mudanças hormonais) que pode trazer dor, desconforto (uma das principais razões de desmame na gestação).

Assim, se não há nenhuma contraindicação absoluta para suspender o aleitamento durante a gestação, a decisão é sempre dos pais. E as razões para suspender o aleitamento na gestação são realmente muito, muito raras.

Vale relembrar que o aleitamento não conta, apenas, como fator nutricional. A satisfação oral, proximidade e vínculo com a mãe, contato físico são fatores que acompanham mãe e bebê durante a fase de amamentação.

Como a criança maior está recebendo outro tipo de alimentos que não o leite materno, o bebê tem a prioridade na mamada, garantindo que ele receba o colostro. Muitas vezes, o fato de a mãe amamentar os dois filhos ao mesmo tempo diminui os ciúmes do filho mais velho e traz uma proximidade maior entre os irmãos. A produção de leite se adequa às necessidades dos dois filhos com o tempo.

Muitas vezes, mesmo que a criança maior tenha desmamado, ao se defrontar com o bebê mamando, pode reaparecer a curiosidade e o interesse em reexperimentar o seio. Geralmente uma conversa explicando que ele já é grandinho e pode se alimentar de outro tipo de comida é suficiente. Mas se ele insistir, não há mal em deixa-lo tentar. O gosto diferente e o tempo que ele ficou sem mamar costumam desagradar a criança.

Mas não é raro que a mãe tenha sentimentos conflitantes em amamentar na gestação ou em tandem após o parto. E nessa hora ela pode contar com a ajuda da família, o apoio do pediatra para que se defina o que é melhor para todos.

Se a opção for desmamar, isso pode ser feito de forma gradual, amamentando o bebê enquanto o filho maior está entretido com outras atividades e substituindo a mamada por lanches saudáveis, com a ajuda da família (especialmente do pai).

Como a criança maior está recebendo outro tipo de alimentos que não o leite materno, o bebê tem a prioridade na mamada, garantindo que ele receba o colostro.

Concluindo 

– Amamentação em TANDEM é a prática de manter aleitamento de seu bebê mesmo na gestação ou crianças de idades diferentes (recém-nascido e filho maior) enquanto for desejável.

– São poucas as contraindicações absolutas para suspender o aleitamento durante a gestação. Isso não é, de forma alguma, regra geral. As questões hormonais de ocitocina e prolactina são fisiológicas, ou seja, normais e não indicam necessidade de desmame.

– Em não havendo nenhuma causa clínica tanto a prática de amamentação em TANDEM como o desmame da criança maior durante a gestação ou após o nascimento do bebê mais novo é uma decisão dos pais, que pode ser embasada nas informações profissionais dos obstetras e pediatras.

– A prática do TANDEM não é simples, não é hábito cultural entre nós, mas precisa ser de conhecimento de todos (pais, profissionais de saúde) e é, sem dúvida, um fator a mais para a confirmação da importância do aleitamento materno e da possibilidade do aumento de sua taxa, o que favorece a saúde da mãe e de seu bebê.

– A fase do colostro é de 3 a 7 dias. Normalmente depois disso vem o leite maduro. Na fase em que a mãe está com o recém-nascido na maternidade, é muito difícil amamentar o outro filho. Não é raro o desmame nessa fase porque os familiares acabam insistindo na mamadeira e em outro leite. A mãe pode retirar seu leite para deixar para seu filho usar em copinho em casa e retomar a amamentação quando voltar para casa.

A decisão final sobre o aleitamento em TANDEM é dos pais.

Fontes 

– Artigo especial – Dogmas da Prolactina: a necessidade de rever conceitos – publicado em 04/07/2014 –

Fisiologia da Prolactina – José Maria Soares Junior, Mônica Gadelha

– Wikipedia – Breastfeeding – Tandem nursing

La Leche League International

Nascer no Brasil – Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento

Anúncios

3 comentários sobre “Amamentação em TANDEM – parte 02

  1. Leda disse:

    Estou passando por esse conflito e fiquei mais tranqüila em saber que se não houver nenhum problema relacionada a nova gestação poderei levar a amamentação até completar os 2 anos da pequena. Obrigada

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s