Aleitamento materno: o que é um hospital amigo da criança?

Smiling Physician near New Family

A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IAHC) foi uma proposta da Organização Mundial de Saúde (OMS) em conjunto com o Fundo das Nações Unidas (UNICEF) para promover a adoção de práticas facilitadoras da amamentação nas maternidades em 1990.

O Brasil, através do Ministério da Saúde, foi um dos primeiros países a incluir a IHAC em sua prática governamental de proteção e apoio ao aleitamento (desde 1992).

Para ser considerado Hospital Amigo da Criança, a instituição tem que cumprir os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno/Iniciativa Hospital Amigo da Criança:

01)  Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipe do serviço;

02)  Treinar toda a equipe, capacitando-a para implementar essa norma;

03)  Informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação;

04)  Ajudar a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto;

05)  Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos;

06)  Não dar a recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica;

07)  Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia;

08)  Encorajar a amamentação sob livre demanda;

09)  Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas;

10)  Encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.

Entre 1992 e 2004, com a IHAC, foram credenciados no Brasil 301 hospitais (139-na região Nordeste, 59 na Sudeste, 50 no Sul, 37 no Centro-Oeste e 16 na Região Norte).

Em 2012, essa taxa chegou a 335 hospitais, ou seja, um aumento de 34 unidades entre credenciamentos e descredenciamentos nos últimos 8 anos e a atual distribuição mudou pouco em relação à de 2004 (Nordeste – 145, Sudeste – 79, Sul – 52, Centro-Oeste – 38, Norte – 21) com apenas um aumento mais significativo na região Sudeste.

Para que se tenha uma ideia, essa quantidade (335 HAC) representa em média 6 a 7% dos hospitais que temos no Brasil dedicados à maternidade e sua distribuição no país é bem irregular, variando desde 1% no Mato Grosso, passando por taxas de 4 a 5% em estados como Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, 7% em São Paulo, Goiás e Amazonas e chegando aos mais altos índices na região Nordeste com 13% no Ceará, 14% na Paraíba e 18% no Rio Grande do Norte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s